Deputado Carlos Melles faz análise da situação do BNDES e propõe ações para CPI

Publicado em: 09/03/2015 - 08:25
Esta parceria é importante, diante da importância do banco, do montante envolvido nos empréstimos e das suspeitas de negócios pouco republicanos, afirmou

Após fazer uma análise das primeiras semanas de trabalho da CPI do BNDES, o deputado Carlos Melles (MG) defende que o Tribunal de Contas da União (TCU), a Polícia Federal (PF), agências de risco, a Fundação Getúlio Vargas (FGV), entre outras instituições, contribuam com a análise de documentos coletados pela comissão.

“Esta parceria é importante, diante da importância do banco, do montante envolvido nos empréstimos e das suspeitas de negócios pouco republicanos”, afirmou. Ele também cobrou celeridade nas convocações já aprovadas por meio de requerimentos aprovados na comissão.

As medidas são necessárias porque, segundo o parlamentar, a instituição passa por um dos piores momentos de sua história e corre o risco de se perder sua função social.

Melles lembrou que após as privatizações, promovidas para dar mais eficiência a setores estratégicos, sobraram poucos espaços para o “aparelhamento político” em estatais. “Mas o BNDES, assim como a Petrobras e os fundos de pensão, são alguns desses lugares”, avaliou.

“Hoje, nós temos em funcionamento na casa três CPIs que tratam exatamente do BNDES, Petrobras e fundos de pensão. E isso não é por acaso!”, destacou. O parlamentar frisou novamente que o BNDES esqueceu o “S” de seu nome e alertou aos representantes da instituição presentes à reunião que se as coisas não mudarem eles não terão orgulho de pertencer ao banco.

Mais Notícias

Em sessão solene, Assembleia Legislativa homenageia os 30 anos do Grupo RIC A solenidade foi proposta em conjunto pelos deputados Plauto Miró Guimarães e Ademar Traiano
Deputados pedem explicações sobre o Hildebrando de Souza Plauto Miró Guimarães e Márcio Pauliki enviaram ofício ao secretário Wagner Mesquita cobrando providências sobre superlotação e infraestrutura do prédio